Ouça agora

Ao vivo

PM prende homem com drogas em Macaé
Norte Fluminense
PM prende homem com drogas em Macaé
Segurança Presente resgata 42 pessoas de um suposto centro de reabilitação clandestino em Nova Iguaçu
Nova Iguaçu
Segurança Presente resgata 42 pessoas de um suposto centro de reabilitação clandestino em Nova Iguaçu
Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta redução das Mortes Violentas Intencionais no RJ
Destaque
Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta redução das Mortes Violentas Intencionais no RJ
Escola Municipal do Idoso está com inscrições abertas até o dia 23/07
Maricá
Escola Municipal do Idoso está com inscrições abertas até o dia 23/07
Colecionadores podem comprar selos em comemoração aos 50 anos da Hello Kitty
Destaque
Colecionadores podem comprar selos em comemoração aos 50 anos da Hello Kitty
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira (23)
Brasil
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira (23)
Cláudio Castro autoriza construção de três novos batalhões da PM
Destaque
Cláudio Castro autoriza construção de três novos batalhões da PM

Carnavalesco Max Lopes, o mago das cores, morre aos 74 anos

O carnavalesco era conhecido como o mago das cores, morreu em Maricá
Foto: Reprodução Internet

Neste domingo (24), o carnavalesco Max Lopes, de 74 anos, conhecido como o mago das cores, morreu em Maricá.

Campeão do carnaval do Rio de Janeiro por Mangueira (Yes, Nós Temos Braguinha, em 1984), Imperatriz Leopoldinense (Liberdade! Liberdade! Abra as Asas sobre Nós, em 1989) e novamente pela Mangueira (“Brasil com “Z” é pra cabra da peste, Brasil com “S” é nação do Nordeste”, em 2002). Ele lutava contra um câncer.

A Mangueira lamentou a morte de Lopes, mencionando que ele foi “o único carnavalesco supercampeão” e que “sua história será reverenciada e lembrada pra sempre, a Mangueira jamais te esquecerá!”.

Atarvés das redes sociais, a Imperatriz Leopoldinense lamentou a morte do carnavalesco:

Anunciamos, com muita tristeza, o falecimento do Carnavalesco Max Lopes. Max iniciou sua trajetória na Imperatriz em 1977, com o Enredo “Viagens Fantástica às Terras de Ibirapitanga” e foi campeão, em 1989, com o enredo “Liberdade! Liberdade! Abra as Asas Sobre Nós”, publicou a escola. “Todos os Leopoldinenses lhe agradecem por toda dedicação ao nosso pavilhão. A Diretoria da Rainha de Ramos deseja muita força aos familiares e amigos. Que seja feita uma passagem de muita luz”.

Max Lopes também teve passagens por Vila Isabel, Viradouro, onde foi campeão do grupo de acesso em 1990 (“Só vale o escrito”), Santa Cruz, Unidos de Lucas, Grande Rio, entre outras agremiações.