Ouça agora

Ao vivo

Putin faz exigências para “negociar a paz” com a Ucrânia após encontro do G7
Mundo
Putin faz exigências para “negociar a paz” com a Ucrânia após encontro do G7
Justiça considera ilegal greve dos educadores de Macaé
Norte Fluminense
Justiça considera ilegal greve dos educadores de Macaé
Governo do estado cria Observatório do Feminicídio
Estado
Governo do estado cria Observatório do Feminicídio
Polícia Militar expande programas de polícia de proximidade na zona sul
Rio de Janeiro
Polícia Militar expande programas de polícia de proximidade na zona sul
Prédio no Centro Histórico de Petrópolis é destruído por incêndio
Região Serrana
Prédio no Centro Histórico de Petrópolis é destruído por incêndio
Termina hoje prazo para inscrição no Enem
Destaque
Termina hoje prazo para inscrição no Enem
RS receberá caravana do governo para garantir acesso a benefícios
Política
RS receberá caravana do governo para garantir acesso a benefícios

Câmara de Maricá aprova Política de Atenção Psicossocial nas escolas

Os objetivos são promover a saúde mental da comunidade escolar, garantir aos integrantes da comunidade escolar o acesso à atenção psicossocial, entre outros.
Foto: Reprodução

A Câmara Municipal de Maricá aprovou nesta segunda-feira (19), em sessão plenária, projeto de lei nº 0228/2022, de autoria do vereador Rony Peterson (MDB), que “Institui a Política de Atenção Psicossocial nas Comunidades Escolares no Âmbito Municipal de Maricá”. A votação foi em segunda discussão e agora a proposta será levada para a sanção ou veto do prefeito Fabiano Horta.

A política em questão constitui estratégia para a integração e articulação das áreas de educação e saúde no desenvolvimento de ações de promoção, prevenção e atenção psicossocial no âmbito das escolas. Engloba alunos, professores e demais profissionais que atuam nas unidades escolares, além de pais e responsáveis.

Os objetivos são: promover a saúde mental da comunidade escolar; garantir aos integrantes da comunidade escolar o acesso à atenção psicossocial; promover a intersetorialidade entre os serviços educacionais, de saúde e de assistência social para a garantia da atenção psicossocial; informar e sensibilizar a sociedade sobre a importância de cuidados psicossociais na comunidade escolar; promover a educação permanente de gestores e profissionais das áreas de educação, saúde e assistência social.

São diretrizes para a implementação da política: a participação da comunidade escolar e da comunidade na qual a escola está inserida; a interdisciplinaridade e a intersetorialidade das ações; a ampla integração da comunidade escolar com as equipes de atenção primária à saúde do território onde a escola está inserida; a garantia de oferta de serviços de atenção psicossocial para a comunidade escolar; a promoção de espaços de reflexão e comunicação sobre as características e necessidades do indivíduo e da comunidade escolar, livres de preconceito e discriminação; a participação dos estudantes como sujeitos ativos no processo de construção da atenção psicossocial; a promoção da escola como espaço para a veiculação de informações cientificamente verificadas e de esclarecimento sobre informações incorretas e o exercício da cidadania e o respeito aos direitos humanos.

Deverá ser constituído em escola no prazo máximo de 90 dias após a data de publicação da lei, Comitê Gestor de Atenção Psicossocial, com a participação obrigatória de representantes da atenção básica responsável pelo território e da comunidade escolar, facultada a participação dos serviços de proteção social básica do Sistema Único de Assistência Social. Ao final do letivo, o Comitê Gestor de Atenção Psicossocial apresentará um relatório em que mensure e avalie o desenvolvimento das ações estipuladas no plano de trabalho e o atendimento dos objetivos previstos nesta Lei.

A Casa tambéma aprovou projeto de lei, nº 0071/2023, do vereador Hadesh (PT), que propõe a criação do Programa de Atendimento às Mães e Pais ou Responsáveis de Alunos da Educação Especial com Diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista, Deficiências Altas Habilidades e/ou Superdotação.

Outro projeto analisado foi o Projeto de Lei nº 0089/2023, apresentado pelo vereador Danilo Santos (PDT). Ele propõe a alteração do nome da Rua Hibisco para Rua Gerânio, abrangendo o trecho que vai da Praça Carlos Eduardo Silva Bueno até o confronto com a Rua Jacarandá.

Danilo Santos também é autor do Projeto de Lei nº 0090/2023, que institui o Programa “Vizinhança Solidária” em todo o município de Maricá, com o objetivo de fomentar a colaboração e o cuidado mútuo entre os moradores, fortalecendo a segurança e o bem-estar comunitário.

O projeto de lei nº 0101/2023, de autoria do vereador Xandi de Bambui (PC do B), busca denominar a Praça Carlos Cezar de Souza, localizada entre as Ruas Cento e Vinte e Três e Rua Cento e Vinte e Quatro, no bairro de Cordeirinho, 2º distrito do município.

Além dos projetos de lei, também foram discutidas e votadas duas moções de aplausos. A Moção de Congratulações e Aplausos ao Sr. João Pedro Monteiro Cavalcante Poggi e ao Sr. Maurus da Silva de Melo Ismael, ambas propostas pelo vereador Igor Corrêa (PC do B).