Ouça agora

Ao vivo

Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Norte Fluminense
Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Maricá
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Destaque
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Brasil
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Política
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Brasil
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri
Baixada Fluminense
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri

Câmara de Barra do Piraí rejeita pedido de impeachment do prefeito durante sessão tumultuada

Proposta apresentada por vereadora de oposição foi arquivada por sete votos a dois. Manifestantes contra e a favor lotaram plenário do legislativo
Imagem: Reprodução

Durante uma sessão tumultuada, a Câmara Municipal de Barra do Piraí rejeitou o pedido de impeachment do prefeito Mário Esteves por sete votos a dois. O prefeito havia sugerido a “castração” de mulheres durante um discurso transmitido ao vivo pela internet. A votação ocorreu na tarde e início da noite da última terça-feira, com um plenário lotado, incluindo muitas mulheres que exibiam cartazes a favor e contra a punição.

A vereadora Kátia Miki, autora do pedido de impeachment, enfrentou vaias e críticas da plateia, alegando que a maioria dos manifestantes era composta por servidores comissionados da prefeitura. Ela destacou a violência sofrida durante a sessão e observou que o machismo estrutural estava evidente, já que algumas vítimas estavam apoiando o prefeito devido a interesses pessoais.

Um dos vereadores que votou contra o impeachment justificou seu voto mencionando que o prefeito já havia admitido seu erro publicamente. Essa justificativa foi aplaudida pela plateia, que gritou o nome do parlamentar. Os vereadores que votaram contra o impeachment foram Thiago Soares, Elves, Paulista dos Pets, Jeordane, Paulinho do Royal, Joel Tinoco e Beto Jaba, enquanto Pedrinho ADL e Roseli Enfermeira foram os votos a favor.

A prefeitura não emitiu comentários sobre as acusações de que os manifestantes eram servidores comissionados. O prefeito foi expulso do partido Solidariedade devido ao seu discurso “misógino” e “preconceituoso”, que demonstrou desrespeito às mulheres, segundo a direção estadual do partido.

Mário Esteves se defendeu nas redes sociais, pedindo desculpas por suas palavras e reiterando seu compromisso com o planejamento familiar. Ele admitiu ter cometido um erro ao utilizar a palavra “castração” em vez de mencionar métodos apropriados, como vasectomia e laqueadura. O prefeito prometeu levantar a pauta nacional do planejamento familiar.