Ouça agora

Ao vivo

Prefeitura de Duque de Caxias anuncia canalização do canal dois irmãos
Baixada Fluminense
Prefeitura de Duque de Caxias anuncia canalização do canal dois irmãos
Prefeitura vai levar artesanato de Angra para o Rio Artes
Angra dos Reis
Prefeitura vai levar artesanato de Angra para o Rio Artes
Prefeitura de Nova Iguaçu retoma obras do Viaduto de Comendador Soares
Nova Iguaçu
Prefeitura de Nova Iguaçu retoma obras do Viaduto de Comendador Soares
TRE-RJ amplia horário de atendimento até a data do fechamento do cadastro eleitoral
Estado
TRE-RJ amplia horário de atendimento até a data do fechamento do cadastro eleitoral
Capela São Jorge, em Campos, tem programação religiosa nesta terça
Norte Fluminense
Capela São Jorge, em Campos, tem programação religiosa nesta terça
Lula anuncia ampliação do programa Pé-de-Meia
Política
Lula anuncia ampliação do programa Pé-de-Meia
Valendo vaga para as Olimpíadas de Paris, Campeonato Pan-Americano e Oceania de Judô 2024 começa com apoio do Governo do Estado
Esportes
Valendo vaga para as Olimpíadas de Paris, Campeonato Pan-Americano e Oceania de Judô 2024 começa com apoio do Governo do Estado

Botafogo dá a melhor resposta possível à saída de Luís Castro ao amassar o Vasco

Só o Alvinegro jogou no clássico no Estádio Nilton Santos e time deu sequência à boa fase na liderança mesmo sem o português
Foto: André Durão

Se existia alguma dúvida se o elenco do Botafogo teria algum tipo de “recaída” por causa da turbulenta saída de Luís Castro, que largou o clube no meio da temporada para assinar o Al-Nassr, a resposta foi dada em grande estilo na vitória por 2 a 0 sobre o Vasco, neste domingo, pelo Brasileirão: não.

O time, agora comandado pelo interino Cláudio Caçapa, não deu chance para o rival respirar. O placar poderia ter sido até mesmo dobrado pela produção alvinegra em campo. Luís Henrique e Carlos Alberto marcaram os gols, mas Tiquinho, Eduardo e Júnior Santos tiveram chances importantes de balançarem as redes também.

Mais do que o resultado e a vitória em um clássico, foi uma resposta do grupo: os jogadores estão bem. Quem quer que seja que venha ou vá, terá de encontro um elenco com gana de vencer. Pode não acontecer no futuro, é claro, mas os resultados até agora mostram um Botafogo que vai forte na briga pelo título brasileiro – são 11 vitórias em 13 jogos, com 100% de aproveitamento em casa.

Pressão alta, passes visando o um contra um nas laterais e buscas por Tiquinho no pivô: essas foram as formas que o Botafogo tentou agredir o Vasco, que sofreu principalmente quando Luís Henrique recebia no mano a mano contra Puma Rodríguez no lado esquerdo. Foi assim, inclusive, que o primeiro gol nasceu: o camisa 11 parte, deixa o lateral para trás, tabela com Tiquinho e completa por baixo das pernas de Léo Jardim.

No primeiro tempo, o Botafogo tentou explorar os espaços que a defesa cruz-maltina dava. Em várias oportunidades algum jogador conseguia aparecer livre ao receber um lançamento nas costas de um dos laterais, mas a equipe mostrava até mesmo uma certa ansiedade na hora de definir a jogada e oportunidades promissoras foram desperdiçadas.

A equipe voltou mais calma para a etapa complementar. Rodava com mais paciência a bola, ia e voltava para o meio-campo quando necessário até achar um espaço na defesa. Assim, foi ganhando ainda mais território em campo ofensivo.

O Vasco até ensaiou uma pressão na reta final de jogo, mas nenhuma chance real foi criada. A única jogada que o rival teve de marcar foi no vacilo de Adryelson, que permitiu Alex Teixeira entrar cara a cara com Lucas Perri, mas o goleiro fez importante defesa.

No fim da partida, o contra-ataque, já com a defesa do Vasco completamente desfigurada, veio. Kayque lançou para Carlos Alberto, que deixou Puma para trás e precisou de dois toques para sair do meio-campo e sair na cara de Léo Jardim. Ceifou. Decretou a vitória e tirou qualquer pergunta se o Botafogo ainda sente resquícios da saída de Luís Castro.