Ouça agora

Ao vivo

Rio das Ostras fecha ruas para oferecer mais segurança no Jazz e Blues
Costa do Sol
Rio das Ostras fecha ruas para oferecer mais segurança no Jazz e Blues
Defesa Civil de Macaé divulga comunicado sobre rajadas de vento na região
Norte Fluminense
Defesa Civil de Macaé divulga comunicado sobre rajadas de vento na região
Defesa Civil de Angra presta auxílio ao Rio Grande do Sul
Angra dos Reis
Defesa Civil de Angra presta auxílio ao Rio Grande do Sul
Assistência Social registra quase 3 mil atendimentos no mutirão do CadÚnico
Maricá
Assistência Social registra quase 3 mil atendimentos no mutirão do CadÚnico
Cinema e cultura popular são os destaques da semana no II Festival de Artes de Nova Iguaçu
Nova Iguaçu
Cinema e cultura popular são os destaques da semana no II Festival de Artes de Nova Iguaçu
Polícia Civil faz operação contra venda ilícita de cobre em diversas regiões do RJ
Estado
Polícia Civil faz operação contra venda ilícita de cobre em diversas regiões do RJ
Lojistas cariocas esperam aumento de 4% nas vendas para o 12 de Junho
Rio de Janeiro
Lojistas cariocas esperam aumento de 4% nas vendas para o 12 de Junho

Bombeiro que tentou matar atendente do McDonald’s é condenado a 12 anos

O crime ocorreu na madrugada de 9 de maio de 2022, no McDonald's da Taquara, Zona Oeste do Rio
Imagem: Reprodução

Nesta quinta-feira (27), o sargento do Corpo de Bombeiros Paulo César de Souza Albuquerque foi condenado a 12 anos de prisão, em regime inicialmente fechado, por tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil contra Mateus Domingos Carvalho, um atendente de lanchonete. O crime ocorreu na madrugada de 9 de maio de 2022, no McDonald’s da Taquara, Zona Oeste do Rio, após uma discussão sobre um cupom de desconto de R$ 4. O Conselho de Sentença, formado por sete jurados, considerou Paulo Cesar culpado por atirar no jovem. Além da pena de prisão, o juiz Gustavo Kalil determinou o pagamento de R$ 100 mil em indenização por danos morais para o atendente. De acordo com testemunhas e a vítima, o militar tentou adicionar o desconto após o pedido ter sido fechado, resultando na briga que levou ao disparo.

Após o atendente informar que não poderia inserir o cupom, o sargento ficou irritado, quebrou a proteção de acrílico e agrediu Matheus com um soco, que revidou. Câmeras de segurança da lanchonete registraram o momento em que Paulo César entrou no estabelecimento com uma arma na mão e atirou em Matheus, acertando seu rim esquerdo e intestino grosso. O jovem precisou passar por cirurgias e ainda sofre com sequelas. O juiz Gustavo Kalil, na decisão, destacou as graves consequências do ato, incluindo a debilidade permanente nas funções renal e digestória, além de deformidade permanente.

O agressor justificou o disparo alegando consumo de bebida alcoólica, remédios controlados, problemas pessoais e ter sofrido uma ofensa homofóbica. Ele afirmou que o tiro foi acidental e que não ligou para a emergência porque havia esquecido o telefone da corporação em que trabalhava.

Paulo César está preso desde 20 de maio do ano passado, em uma unidade prisional do Corpo de Bombeiros, com o porte e posse de armas suspensos. Além disso, ele é alvo de um inquérito e de um conselho disciplinar policial militar que apura sua conduta profissional. O magistrado manteve a prisão e decretou a perda do cargo, medida condicionada ao trânsito em julgado da sentença, após esgotados todos os recursos. A vítima, Matheus, teve sua vida profundamente afetada, incluindo sua possibilidade de estudar medicina veterinária.