Ouça agora

Ao vivo

Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Destaque
Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
Destaque
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Destaque
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Destaque
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Destaque
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Destaque
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto
Baixada Fluminense
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto

Bia vira jogo de quase 4 horas e está entre as 8 melhores em Roland Garros

Brasileira supera batalha contra Sara Sorribes e é primeira do país a ir tão longe em um torneio de simples em Grand Slam desde Guga em 2001. Ela também iguala Maria Esther Bueno
Foto: Sportv

Primeiro, Beatriz Haddad Maia perdeu um set que parecia ganho. Depois, venceu um set que parecia perdido. Chegou ver a espanhola Sara Sorribes Tormo abrir um set e duas quebras de vantagem. Nos altos e baixos, porém, a brasileira mostrou raça e força mental. Mesmo com uma atuação instável, com 65 erros não forçados, não deixou de lutar e acreditar. No fim, foi recompensada com uma vitória por 6/7(3), 6/3 e 7/5, em mais de 3h51min de jogo – a partida feminina mais longa de Roland Garros este ano até agora -, que valeu uma vaga nas quartas de final de Roland Garros.

O feito de Bia é gigante. Na Era Aberta, é a primeira brasileira a chegar às quartas de final de um Grand Slam. Em toda a história, ela se iguala a Maria Esther Bueno, única do país até hoje a chegar às quartas em Roland Garros – foi finalista em 1960. É, também, a brasileira a ir mais longe em um Grand Slam desde 1968, quando Maria Esther foi à fase em Roland Garros, Wimbledon e US Open.

– Eu tentei pensar de uma forma positiva nos momentos mais difíceis. Pensei que, se eu estava sentindo o nervosismo, minha adversária também sentindo. Meu técnico me mandou uma entrevista do Djokovic, falando de nervosismo. Então, se o Djokovic fica nervoso, quem sou eu para não ficar? Precisamos aceitar, nos mantermos firmes para aguentar a pressão.

O próximo obstáculo para Bia na capital francesa será a tunisiana Ons Jabeur, número 7 do mundo. Nesta segunda-feira, ela superou sem problemas a americana Bernarda Perapor 6/3 e 6/1. Bia e Ons já duelaram duas vezes, e a africana levou a melhor em ambas. O jogo mais recente aconteceu no WTA 500 de Stuttgart, também no saibro, e terminou com parciais de 6/3 e 6/0.