Ouça agora

Ao vivo

Procon e Conselho de Veterinária fazem fiscalização e interditam clínicas na zona norte do Rio
Estado
Procon e Conselho de Veterinária fazem fiscalização e interditam clínicas na zona norte do Rio
Governo se reúne com professores e servidores federais em greve para discutir revisão de carreira
Destaque
Governo se reúne com professores e servidores federais em greve para discutir revisão de carreira
Rio das Ostras e Senac RJ oferecem curso gratuito no setor de Gastronomia
Costa do Sol
Rio das Ostras e Senac RJ oferecem curso gratuito no setor de Gastronomia
Workshop de atendimento segue com inscrições abertas
Angra dos Reis
Workshop de atendimento segue com inscrições abertas
Maricá lança ferramenta de segurança nas escolas
Maricá
Maricá lança ferramenta de segurança nas escolas
Nova Iguaçu recebe mais uma edição da Festa de São Jorge
Nova Iguaçu
Nova Iguaçu recebe mais uma edição da Festa de São Jorge
Governador Cláudio Castro nomeia novo secretário de Polícia Militar
Estado
Governador Cláudio Castro nomeia novo secretário de Polícia Militar

Baixada Fluminense é foco de novos lançamentos

Municípios da região têm déficit de moradia e alta demanda para imóveis de empreendimentos enquadrados no programa "Minha casa, minha vida".
Foto: Reprodução

Com cerca de quatro milhões de habitantes, a Baixada Fluminense tem sido alvo de algumas construtoras para erguer novos empreendimentos. O motivo está no potencial de público para projetos enquadrados no Minha Casa, Minha Vida (MCMV), uma vez que grande parcela da população dos 13 municípios da região tem renda compatível com o programa. Além disso, é grande a demanda por imóveis devido à falta de lançamentos no passado recente.

A CAC Engenharia tem três projetos lançados em diferentes cidades da Baixada: o Nova Cittá, em Duque de Caxias, com unidades garden de 45 a 120 metros quadrados e preço médio de R$ 175 mil; o Residencial França, em Nova Iguaçu, entregue em março deste ano, que tem unidades à venda a partir de R$ 206 mil; e o Residencial Vista Park, em Belford Roxo, em parceria com a Jeronimo da Veiga, com unidades a partir de R$ 181 mil. Neste ano ainda, a construtora pretende fazer mais um lançamento na Posse, em Nova Iguaçu, com mais de 400 apartamentos, varandas, lazer completo e elevador.

Na região há os que buscam imóveis no programa MCMV e os que procuram empreendimentos de padrão mais elevado. Mas, mesmo nos projetos enquadrados no segmento econômico, há diferenciais que atendem às necessidades dos clientes. No condomínio Nova Cittá, por exemplo, há praças arborizadas, além dos itens de lazer comuns, como piscina, quadra, churrasqueira e playground. Nos próximos empreendimentos, a construtora pretende inovar.

Considerada a “Zona Sul” da Baixada pela infraestrutura mais completa, Nova Iguaçu vem recebendo empreendimentos da Jeronimo da Veiga. Em novembro do ano passado, a construtora lançou o Duo London, com 395 unidades de dois e três quartos com suíte, entre R$ 340 mil e R$ 450 mil.

A entrega está prevista para 2025. Segundo o diretor Comercial da empresa, Maurício Corrêa, o empreendimento se encaixa na chamada “faixa 4”, que ultrapassa o limite de preços do Minha Casa, Minha Vida, mas, mesmo assim, faz parte do segmento econômico.

A construtora também tem projetos que se enquadram no programa federal de habitação. Entre julho e agosto deste ano, será lançado um novo empreendimento em Miguel Couto, bairro de Nova Iguaçu. Ainda em 2023, a empresa prevê entregar o Conceito Residencial, também no município, que ainda tem três unidades disponíveis para venda.

A Riviera também vê grande potencial para lançamentos do Minha Casa, Minha Vida na Baixada Fluminense. A empresa está construindo em Duque de Caxias o Central Park, um bairro planejado que terá 10.080 unidades nos próximos dez anos. O primeiro condomínio, com 24 blocos e 480 unidades, já foi entregue, e o segundo tem previsão de conclusão para maio de 2024.

A Cubo Projetos Especiais também escolheu Nova Iguaçu para lançar o Allegro In Smart House, um condomínio de casas, com 221 unidades que custam a partir de R$ 220 mil. O diferencial está no acabamento, segundo Sidney Augusto diretor da construtora. Cada casa será construída num lote de 150 metros quadrados e terá piscina, espaço gourmet, dois quartos e área de 67 metros quadrados. As unidades estão enquadradas no SBPE, da Caixa Econômica Federal, e as obras já foram iniciadas.

Especificamente no Rio de Janeiro, a empresa pretende lançar empreendimentos de casas em Campo Grande, na Zona Oeste, e em Teresópolis, na Região Serrana do Rio, com 230 e 135 unidades, respectivamente.

As casas do Allegro In Smart House terão apenas um andar. O fato de não ter escadas, segundo Augusto, acaba atraindo também os idosos, além do público jovem. A área comum do condomínio terá itens como pet place, horta orgânica, quadra poliesportiva e academia de ginástica.