Ouça agora

Ao vivo

Governo Federal não aceita negociar com servidores do INSS e greve é mantida
Brasil
Governo Federal não aceita negociar com servidores do INSS e greve é mantida
Primeira pesquisa depois de atentado mostra empate técnico entre Biden e Trump nos EUA
Destaque
Primeira pesquisa depois de atentado mostra empate técnico entre Biden e Trump nos EUA
Irmãos Brazão negam envolvimento com milicianos do Rio de Janeiro
Política
Irmãos Brazão negam envolvimento com milicianos do Rio de Janeiro
Justiça considera que Uber é responsável por itens pedidos em entregas
Destaque
Justiça considera que Uber é responsável por itens pedidos em entregas
Mega-sena acumula novamente e prêmio chega a R$ 47 milhões
Brasil
Mega-sena acumula novamente e prêmio chega a R$ 47 milhões
Servidores do INSS entram em greve a partir dessa terça-feira (16/07)
Brasil
Servidores do INSS entram em greve a partir dessa terça-feira (16/07)
Maricá das Artes realiza dois saraus culturais em julho
Cultura
Maricá das Artes realiza dois saraus culturais em julho

Alerj aprova projeto da criação do Dia da Resposta Histórica Contra o Racismo no Futebol

A data escolhida para ser institucionalizada foi 07 de abril
Foto: Por Thiago Lontra/Alerj

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro aprovou, nesta quinta-feira (25), o Projeto de Lei 64/23, que institui o dia 07 de abril como Dia da Resposta Histórica Contra o Racismo no Futebol. A medida é de autoria original dos deputados Verônica Lima (PT), Felipinho Ravis (SDD) e Andrezinho Ceciliano (PT). O projeto foi inserido na pauta de votações após a manifestação de diversos deputados, na última terça (23), contra os atos racistas sofridos pelo jogador da seleção do Brasil Vinicius Jr durante partida do Campeonato Espanhol.

– Para o povo brasileiro, o futebol significa a possibilidade de ascensão social e econômica de muitos jovens e adolescentes que se inspiram nos atletas de alta performance, como o Vini Jr. Então, quando atacam esses atletas também estão atacando milhares de meninos e meninas que têm no futebol e na figura desses atletas uma referência positiva – disse Verônica Lima.

A escolha do dia 07 de abril foi pensada no episódio vivido pelo Vasco, em 7 de abril de 1924, quando o clube teve sua inscrição recusada pela Associação Metropolitana de Esportes Athleticos (AMEA). A entidade só permitiria a filiação do clube caso todos os 12 jogadores, negros e operários, fossem dispensados sob a acusação de que teriam “profissão duvidosa” e que não apresentavam “condições sociais apropriadas para o convívio esportivo”.

O Club de Regatas Vasco da Gama se posicionou diante do ocorrido recusando a proposta de excluir seus jogadores e no dia 7 de abril de 1924, o então presidente do clube enviou uma carta resposta ao presidente da entidade, que ficou conhecida como “Resposta Histórica”, e como um marco da luta contra a discriminação racial no futebol brasileiro.

Caso de racismo durante partida de futebol

Durante o jogo entre o Real Madrid e Valência, no último domingo (21), no Estádio Mestalla, a torcida valenciana gritou insultos racistas para o jogador Vinicius Jr do Real Madrid. A partida foi interrompida e até o locutor do estádio teve que pedir para que torcedores parassem de insultar o atacante para que a partida pudesse ser reiniciada.

No final da partida, o goleiro do time adversário, Mamardashvili, partiu para cima de Vini Jr. Logo em seguida, Vinicius sofreu um ‘mata-leão’ do jogador Hugo Duro, foi empurrado e, ao reagir, acabou sendo expulso após análise do VAR. Nenhum dos jogadores do Valência foram punidos até o momento.

O jogador Vinicius Jr sofreu outros episódios de ataques de ódio e racismo durante partidas de futebol, um de maior destaque ocorreu em janeiro deste ano, quando torcedores do Atlético de Madrid penduraram em uma ponte da capital espanhola um boneco com a camisa do Vinícius Júnior e uma faixa escrita “Madrid odeia o Real”.