Ouça agora

Ao vivo

Bono, cachorro pentacampeão mundial de surf dog comemora aniversário no Rio
Destaque
Bono, cachorro pentacampeão mundial de surf dog comemora aniversário no Rio
Cláudio Castro se reúne com presidentes do Senado e da Câmara e defende regras mais duras para o combate ao crime
Destaque
Cláudio Castro se reúne com presidentes do Senado e da Câmara e defende regras mais duras para o combate ao crime
Governo cria sistema para emitir carteira para pessoa com TEA
Destaque
Governo cria sistema para emitir carteira para pessoa com TEA
Cantinas de prisões e hospitais penitenciários deixam de funcionar
Destaque
Cantinas de prisões e hospitais penitenciários deixam de funcionar
Estudantes de Maricá conquistam medalhas nos Jogos Escolares do Rio de Janeiro
Maricá
Estudantes de Maricá conquistam medalhas nos Jogos Escolares do Rio de Janeiro
Luiz Gonzaga será homenageado em Arraiá de Duque de Caxias
Destaque
Luiz Gonzaga será homenageado em Arraiá de Duque de Caxias
Coletivo Vista Minha Pele faz ação em Rio das Ostras
Costa do Sol
Coletivo Vista Minha Pele faz ação em Rio das Ostras

Alckmin acredita que o Copom reduzirá a taxa Selic em 0,50 ponto percentual

Vice-presidente criticou o Banco Central por ter mantido a taxa de juros em 13,75% durante um ano
Imagem: Agência Brasil

O vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, acredita que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central manterá o ritmo de reduções da taxa Selic na próxima reunião, com mais um corte de 0,50 ponto percentual (para 12,75% ao ano) e sinalizará a continuidade do ciclo de afrouxamento monetário. Em uma entrevista à jornalista Miriam Leitão, na GloboNews, Alckmin expressou sua opinião crítica em relação ao Banco Central por ter mantido a taxa Selic em 13,75% ao ano por um ano inteiro.

“Em 2020, a inflação era, assim como hoje, 4%, e os juros estavam em 2%, ou seja, negativos em 2%. O problema não foi chegar a 13,75%, mas sim manter esse patamar por um ano. Isso é um verdadeiro feito na economia brasileira conseguir crescer”, afirmou o vice-presidente. Alckmin destacou que a taxa Selic restritiva tem um efeito inibidor sobre os investimentos, uma vez que aqueles que precisam de empréstimos enfrentam dificuldades e os potenciais investidores são desestimulados a participar da atividade econômica real, optando pela especulação financeira.