Ouça agora

Ao vivo

Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Destaque
Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
Destaque
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Destaque
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Destaque
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Destaque
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Destaque
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto
Baixada Fluminense
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto

Águas do Rio remove ligações clandestinas que desviaram oito bilhões de litros de água em Nova Iguaçu

Irregularidade prejudicou, durante 15 anos, abastecimento em 23 bairros do município
Imagem: Divulgação Águas do Rio

Mais de 1,4 mil ligações clandestinas de água foram identificadas no bairro Danon, em Nova Iguaçu, após vistoria realizada pela Águas do Rio. Nesta quarta-feira (16/8), técnicos e operários da concessionária retiraram os “gatos” ligados à Nova Adutora da Baixada Fluminense, sistema que integra o conjunto de abastecimento de Nova Iguaçu e Queimados. Para que os técnicos pudessem trabalhar no local o fornecimento de água da região precisou ser suspenso até a finalização do conserto da tubulação, que aconteceu no final do dia de ontem (16).

A irregularidade acontecia há cerca de 15 anos, o que, segundo levantamento da empresa, desviou, direta ou indiretamente, quase oito bilhões de litros de água nesse período. As fraudes impactavam o abastecimento de 23 bairros.

“As ligações clandestinas prejudicam toda a rede. Além de fragilizar a estrutura da adutora e contribuir com a ocorrência de rompimentos e vazamentos, elas reduzem a pressão no sistema e afetam a distribuição e a qualidade da água que chega na casa das pessoas”, explicou Felipe Esteves, diretor-executivo da Águas do Rio.

Para regularizar as ligações e manter o abastecimento local, a companhia realizou um estudo de viabilidade técnica. Foram implantados 16 km de rede e instalados dois sistemas de bombeamento, que vão manter o abastecimento de moradores dos bairros Danon, Iolanda, Mangueira e Jardim Palmares.