Ouça agora

Ao vivo

Justiça reduz pena de condenado por morte de cinegrafista em protesto
Brasil
Justiça reduz pena de condenado por morte de cinegrafista em protesto
Bono, cachorro pentacampeão mundial de surf dog comemora aniversário no Rio
Destaque
Bono, cachorro pentacampeão mundial de surf dog comemora aniversário no Rio
Cláudio Castro se reúne com presidentes do Senado e da Câmara e defende regras mais duras para o combate ao crime
Destaque
Cláudio Castro se reúne com presidentes do Senado e da Câmara e defende regras mais duras para o combate ao crime
Governo cria sistema para emitir carteira para pessoa com TEA
Destaque
Governo cria sistema para emitir carteira para pessoa com TEA
Cantinas de prisões e hospitais penitenciários deixam de funcionar
Destaque
Cantinas de prisões e hospitais penitenciários deixam de funcionar
Estudantes de Maricá conquistam medalhas nos Jogos Escolares do Rio de Janeiro
Maricá
Estudantes de Maricá conquistam medalhas nos Jogos Escolares do Rio de Janeiro
Luiz Gonzaga será homenageado em Arraiá de Duque de Caxias
Destaque
Luiz Gonzaga será homenageado em Arraiá de Duque de Caxias

Agentes da saúde de Nova Iguaçu passam a utilizar tablets em visitas domiciliares

Os agentes comunitários de saúde desempenham papel importante na prestação de cuidados médicos à comunidade local
Imagem: Divulgação Prefeitura de Nova Iguaçu

Nova Iguaçu deu um passo importante para a modernização e agilidade nos atendimentos à população que recebe visitas domiciliares. Os agentes comunitários de saúde começaram a utilizar tablets para cadastramento e coleta de informações de maneira ágil e prática, eliminando o preenchimento manual.

Nas duas primeiras semanas de uso do equipamento, os agentes já fizeram 16 mil novos cadastros em Nova Iguaçu. Os aparelhos são conectados ao Ministério da Saúde. O aplicativo garante acesso em tempo real as informações dos pacientes, como visitas domiciliares, histórico médico, consultas, caderneta de vacinação, entre outras informações importantes que irão compor a base de dados do município.

O grande diferencial é que essas informações podem ser coletadas sem acesso a internet, facilitando o trabalho de cadastramento. Esses dados são automaticamente sincronizados com os sistemas das unidades de saúde assim que houver conexão, garantindo um registro centralizado e seguro.

“Com esta nova tecnologia de coleta de dados será possível analisar, mapear, estudar e planejar estratégias para promover a saúde na região, seja através de campanhas, exames, mudança no perfil das unidades ou criar um novo serviço de atendimento. Vamos ter em tempo real informações importantes”, ressalta o secretário municipal de Saúde, Luiz Carlos Nobre Cavalcanti.

Atualmente, Nova Iguaçu conta com 611 agentes comunitários de saúde que fazem um trabalho de visitas domiciliares divididas por região. Cada profissional recebeu um tablet para fazer o atendimento e passaram por capacitações sobre o uso do equipamento. A expectativa é que cada profissional possa entrevistar até 750 moradores por mês, dobrando a assistência oferecida pela atenção primária em saúde.

Um dos agentes comunitários de saúde que aprovou o uso dos tablets foi Rafael Mikalauskas da Silva, de 34 anos. Ele é responsável pelas visitas domiciliares na região de Santa Rita, que utiliza a Clínica da Família local como suporte para os pacientes atendidos.

“Deu agilidade ao nosso trabalho. Temos todas as informações na palma da mão e não precisamos mais usar papel, o que é bom para o meio ambiente. A saúde tem que evoluir junto com a tecnologia e essa novidade certamente irá ajudar nos atendimentos”, conta.

Os iguaçuanos aproveitaram a novidade e fizeram questão de agradecer pelos serviços prestados pelos agentes.

“O papel dos agentes de saúde é importante. São educados, chamam, conversam, perguntam se estamos precisando de alguma coisa. Sinal de que se importam com o morador e estão prontos para ajudar”, conclui conta Maria das Graças Ferreira Gomes, de 73 anos.

O papel do Agente Comunitário de Saúde

Os agentes comunitários de saúde desempenham papel importante na prestação de cuidados médicos à comunidade local. Eles são a ligação direta entre os moradores e os serviços de saúde, realizando visitas domiciliares, monitorando condições de saúde, fornecendo orientações e promovendo a prevenção de doenças. No entanto, muitas vezes, esses profissionais enfrentam desafios ao registrar e acessar informações relevantes de forma eficiente.