Ouça agora

Ao vivo

Segurança Presente resgata 42 pessoas de um suposto centro de reabilitação clandestino em Nova Iguaçu
Nova Iguaçu
Segurança Presente resgata 42 pessoas de um suposto centro de reabilitação clandestino em Nova Iguaçu
Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta redução das Mortes Violentas Intencionais no RJ
Destaque
Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta redução das Mortes Violentas Intencionais no RJ
Escola Municipal do Idoso está com inscrições abertas até o dia 23/07
Maricá
Escola Municipal do Idoso está com inscrições abertas até o dia 23/07
Colecionadores podem comprar selos em comemoração aos 50 anos da Hello Kitty
Destaque
Colecionadores podem comprar selos em comemoração aos 50 anos da Hello Kitty
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira (23)
Brasil
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira (23)
Cláudio Castro autoriza construção de três novos batalhões da PM
Destaque
Cláudio Castro autoriza construção de três novos batalhões da PM
G20 inicia semana de encontros econômicos e sociais no Rio
Brasil
G20 inicia semana de encontros econômicos e sociais no Rio

Agente da PRF suspeito de acessar o CTI do Hospital Adão Pereira Nunes é identificado

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), será investigado o que exatamente o policial fazia no local
Imagem: Reprodução

O agente da PRF suspeito de acessar o Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Adão Pereira Nunes, em Caxias, na Baixada Fluminense, à paisana, foi identificado. A unidade de saúde é onde a menina H. dos S. S, de 3 anos, está internada em estado gravíssimo, após ter sido baleada em uma ação da PRF, no Arco Metropolitano, na noite de quinta-feira (7).

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), será investigado o que exatamente o policial fazia no CTI e dependendo das conclusões poderá denunciá-lo à Justiça Federal por abuso de autoridade. Representantes do MPF estiveram no hospital para iniciar as investigações sobre o caso e no local, foram informados que o agente teria entrado no CTI, sem autorização da segurança do hospital.

Imagem: Reprodução O DIA

Em nota, a PRF informou que a coordenadora geral de Direitos Humanos da PRF esteve no hospital acompanhada de integrantes da Comissão Regional de Direitos Humanos. No entanto, “fora essas pessoas, nenhum outro policial tinha autorização para estar no local”. De acordo com a corporação, um procedimento foi aberto na corregedoria.

A Prefeitura de Duque de Caxias informou que a Secretaria Municipal de Saúde está analisando as imagens das câmeras de segurança do hospital para verificar em que condições ocorreram a presença e circulação do agente sem autorização nas dependências da unidade de saúde.

Segundo a direção do hospital, na ocasião, o homem foi impedido de entrar no CTI do hospital, ao ser abordado pelo coordenador de segurança de plantão e informado de que não poderia ter acesso ao setor, já que não tinha autorização. De imediato, o coordenador de segurança conduziu o homem até a sala da equipe médica responsável, onde estavam os agentes do MPF.