Ouça agora

Ao vivo

Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Norte Fluminense
Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Rio de Janeiro
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Maricá
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Angra dos Reis
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Destaque
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Baixada Fluminense
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi
Costa do Sol
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi

2023 pode ter um aumento de mais de 7% no crédito, segundo o Banco Central

Dados mostram evolução em saldo de empréstimos a famílias
Imagem: Reprodução

De acordo com o Banco Central (BC), a projeção para o volume de crédito bancário em 2023 é de crescimento de 7,7%. Essa previsão teve um pequeno aumento em relação à projeção anterior de 7,6%, divulgada em março deste ano. Esse cenário sugere uma desaceleração do crédito, o que está em linha com o ciclo de aumento da taxa Selic, os juros básicos da economia. O Comitê de Política Monetária (Copom) do BC tem mantido a taxa Selic em 13,75% ao ano desde agosto do ano passado, o nível mais alto desde janeiro de 2017, apesar da queda da inflação e das pressões do governo para reduzir os juros básicos.

A taxa Selic é uma ferramenta-chave do BC para alcançar a meta de inflação, pois afeta os preços, já que juros mais altos encarecem o crédito e incentivam a poupança, evitando uma demanda excessiva. Os efeitos do aperto monetário são sentidos no encarecimento do crédito e na desaceleração da economia. A nova estimativa incorpora os novos dados do mercado de crédito e a revisão do cenário macroeconômico futuro, conforme o Relatório de Inflação, publicação trimestral do BC, divulgado nesta quinta-feira (29).

A previsão para o crescimento do estoque de crédito livre para pessoas físicas em 2023 aumentou de 8% para 9%, refletindo uma maior resiliência nas concessões até abril de 2023. No entanto, a projeção para o crescimento do crédito livre às empresas foi reduzida de 6% para 3%, devido a uma desaceleração mais intensa do que o esperado no primeiro quadrimestre do ano. O crédito livre é aquele em que os bancos têm autonomia para emprestar o dinheiro captado no mercado e definir as taxas de juros cobradas dos clientes.

O crédito direcionado, que tem regras definidas pelo governo e é destinado principalmente aos setores habitacional, rural, de infraestrutura e ao microcrédito, apresentou um crescimento parcial que contrabalançou a desaceleração do crédito livre. Nesse segmento, a projeção para o crescimento do saldo de crédito às pessoas físicas aumentou de 9% para 11%, devido à maior disponibilização de crédito rural no início do ano. Além disso, a revisão reflete a desaceleração ainda discreta do saldo do crédito imobiliário, apesar da retração nas concessões observada desde meados de 2021.

É importante mencionar que movimentos das concessões têm impacto mais defasado na carteira de crédito, pois os prazos da modalidade são altos e as amortizações relativamente pequenas em comparação ao saldo. Quanto ao crédito direcionado para pessoas jurídicas, a projeção foi mantida em 7%.